Experimento Noir é um espaço de troca de experiências e experimentos que bebam da fonte do gênero noir.
Participe para saber mais e envie a sua colaboração. Após análise, publico com crédito do experimentador.


sábado, 6 de outubro de 2012

The Other Woman - 1954

The Other Woman - 1954
81 min - USA
Filme Noir
Diretor: Hugo Haas
Estrelando: Hugo Haas, Cleo Moore, Lance Fuller

http://www.imdb.com/title/tt0047317/




Este filme escrito, produzido, dirigido e com a atuação do judeu Hugo Haas - à semelhança de seu admirado Chaplin, tendo nos anos de 1951 a 1962 optado por trabalhar na produção completa de seus filmes, ainda que tal feito tenha lhe rendido certa frustração por não ter o devido reconhecimento por parte de Hollywood - parece mostrar justamente a situação de um diretor em apuros na indústria cinematográfica da época.

Sherry Stewart (Cleo Moore) é a atriz que quer vingar-se do diretor Walter Darmas (Haas) que lhe oferece um papel menor. Atraindo-o para sua casa, droga-o com uma bebida, chantageando-o em seguida como se os dois tivessem uma noite íntima que gerou uma gravidez. A condição para não contar sobre o caso à sua esposa é receber a soma de US$50.000, sem saber que o diretor encontra-se em ruínas, vivendo do casamento com a filha do dono da produtora.



A chantagem levará ao assasinato da bela jovem por estrangulamento, seguida de investigações sobre o crime, levando o protagonista a um destino nada promissor.

Além do clima noir, envolvendo crime, investigação e mistério, Haas tem como tema central a visão pessoal da indústria cinematográfica, mostrando o negócio e as relações que vão do lucro ao interesse pela arte em si. A figura de Cleo é a própria ruína de Darmas e a representação da bela indústria cheia de artimanhas e caminhos perigosos; Darmas este não consegue entender o motivo da intenção dessa mulher, apesar de não tratar-se de um inocente no sentido de ter escolhido casar-se com a filha do produtor que garantirá os lucros do negócio para um imigrante a quem o interesse é exercer sua arte. A produção de Haas mistura ficção e realidade, a fim de contar ao expectador sua condição, e de outros tantos que chegaram aos Estados Unidos, já carregados do sentimento de desolação da guerra, buscando um lugar em Hollywood, expostos a toda sorte de artimanhas que podem levá-los à ruína.

De qualquer forma, Haas consegue produzir um bom thriller de baixo orçamento que merece o conhecimento do expectador. 

2 comentários:

  1. Sim, concordo. Mas faz parte do repertório noir e deve ser compartilhado para conhecimento. ;D

    ResponderExcluir